Projetos: Teorias versus Prática


Há muito tempo que a gestão de projetos deixou de ser algo novo e sem confiança. Hoje em dia, cada vez mais as empresas possuem projetos e consequentemente, precisam que os mesmos sejam geridos.

teoria_praticaAo passar dos anos, muitos estudos foram sendo realizados e algumas metodologias, de como gerir um projeto, foram sendo desenvolvidas. Algumas teorias são mais conservadoras outras nem tanto. Algumas focam no resultado final, deixando de lado alguns fatores “sem controle”.

Mas o foco deste post não é falar das características de cada teoria existente, nem conhecimento e tempo para falar de todas tenho disponível. O que quero relatar, são observações minhas que pude, felizmente, capturar ao longo dos anos atuando como membro de uma equipe de projetos ou até mesmo como gestor de projetos.

Atualmente as duas principais metodologias (frameworks)  que a grande maioria das empresas trabalha são o SCRUM e o guia PMBOK. Existem outras como o Prince2 e uma grande quantidade, quando focamos em desenvolvimento de software.

Ao meu entender são duas excelentes metodologias para a de gestão de projetos.

Com o passar do tempo, uma necessidade que observei e que ao meu entender é deixado de lado por estas metodologias e que é fundamental para que o projeto seja um sucesso é o que eu chamo de “Fator Humano” (relacionamento humano).

Saber controlar os custos/despesas de um projeto é fundamental, até mesmo obrigação do gestor.

Controlar o “escopo” é um assunto para um outro post, mas está diretamente relacionado ao “Fator Humano“.

Em alguns casos, a falta de gestão do “Fator Humano” pode ocasionar a perda de controle do projeto, qualidade inapropriada da entrega, atrasos e tudo isso acarreta perda de tempo. Logo, perde-se dinheiro!

Já tive a infelicidade de presenciar, projetos serem cancelados pela falta de gestão do “Fator Humano”.

O relacionamento humano, a cada dia que passa se torna mais difícil entre empresas e clientes.

No passado, a “palavra” tinha uma importância fundamental. Com o passar dos anos a importância que a “palavra” tinha ficou demasiadamente fraca, sem poder. Foram criados os contratos e por fim, clientes e fornecedores (de produtos os serviços), ficam analisando os contratos para identificar falhas de modo que o produto/serviço não seja entregue ou de forma que o que foi entregue não precise ser pago.

Infelizmente, casos assim ocorrem todos os dias em empresas de pequeno, médio, grande porte, multinacionais e governo.

É uma pena que dificilmente, seja possível adaptar grande parte destas metodologias e utilizá-las realmente na prática.

Como é o gerenciado o Fator Humano em seus projetos?

1 pensamento em “Projetos: Teorias versus Prática”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *