Os Benefícios da Governança de TI

Publicado em 21/05/2014 por Bruno Russo

Muitas empresas em nosso país, ainda possuem uma visão muito distorcida da área (departamento) de TI (Tecnologia da Informação). Nestas empresas, a TI nada mais é que um provedor de serviços. Esta visão está equivocada!

A TI, precisa ser vista como um parceiro estratégico para o negócio, pois:

  1. A TI é para o crescimento do negócio;
  2. Os orçamentos devem ser baseados na estratégia do negócio;
  3. A TI é inseparável do negócio (em muitos casos o negócio só existe pelo fato da TI existir);
  4. A TI precisa ser vista como um investimento a ser gerenciado;
  5. Os diretores de TI, são solucionadores de problema do negócio

    Fonte – Strategies and Models for IT Governance, IGI

    Não é fácil, mudar esta visão equivocada. Além disso, a TI é uma área dentro da empresa com muitos desafios a serem superados. Onde podemos elencar os seguintes desafios:

  1. Ato ou efeito de governar(-se);
  2. Administração, direção;
  3. Domínio, controle;
  4. O Poder executivo;
  5. Regime político de um estado;
  6. Freio, direção.

    Gerenciamento, deriva da palavra Gerenciar:

  7. Dirigir como Gerente (que ou quem gere negócios, bens ou serviços);
  8. Gerir

    [[wp-content/uploads/2014/05/Governanca_Gerenciamento.png?387x44] http://www.brunorusso.com.br/wp-content/uploads/2014/05/Governanca_Gerenciamento.png]

    A Governança de TI deve ser capaz de:

  9. “dar direção” – dizer onde se quer chegar;
  10. “controlar” – necessário controlar as ações para colher os resultados esperados.

    Por definição: “A Governança de TI, é de responsabilidade da alta administração (incluindo diretores e executivos) na liderança, nas estruturas organizacionais e nos processos que garantem que a TI da empresa sustente e estenda as estratégias e objetivos da organização” – Fonte: IT Governance Institute – IGI.

    Podemos listar, de forma resumida os princípios da Governança de TI:

  1. Princípios de TI (envolve o board da organização): decide-se no alto nível, como a TI irá ser utilizada no negócio;
  2. Estratégicas para a infraestrutura de TI (envolve o CIO): decide-se qual a infraestrutura necessária para suportar o negócio, ou seja, considerando a capacidade (técnica/humana), serviços compartilhados e coordenação centralizada;
  3. Arquitetura de TI (envolve o CIO): decide-se, qual a arquitetura tecnológica e um conjunto de políticas e regras que governam o uso da TI no negócio;
  4. Necessidades de aplicações de negócios (usuários da TI): define-se as aplicações de negócio que a organização precisa;
  5. Investimento e priorização (Envolve o board mais o nível gerencial): decide-se quanto e onde investir em TI.

     Adaptação de: Well and Ross, 2004, IT Governance, HBSP

     Agora que já listamos algumas decisões que envolvem a TI de uma empresa, vamos descrever qual é o Foco da Governança de TI.

    Com base no COBIT, o Foco da Governança de TI envolve 5 áreas:

  6. Alinhamento Estratégico: alinhando TI com o negócio e fornecendo soluções colaborativas
  7. Entrega de Valor: executando a proposição de valor através do ciclo de entrega
  8. Gerenciamento de Riscos: riscos de TI, impactos das mudanças, segurança e conformidade
  9. Gerenciamento de Recursos: otimizando o desenvolvimento e uso de recursos disponíveis
  10. Mensuração do Desempenho: monitoramento dos recursos para ação corretiva

    Todo este conteúdo até agora é muito bonito e muito interessante, mas quando a empresa possui uma governança de TI efetiva alguns benefícios se tornam evidentes para a organização.