Laboratório Campana

Publicado em 08/03/200601/05/2014 por Bruno Russo

Hoje tive que ir ao laboratório (infelizmente teve que ser o laboratório campana) realizar alguns exames de rotina que a médica solicitou. Os exames eram simples: sangue, uma radiografia e um teste de audiometria. Ao chegar na unidade da avenida Angélica, a atendente me diz: – Sr. estamos com problema no equipamento de radiografia (Raio-X), não sei se esse exame poderá ser realizado. Eu, com toda a calma, respondo: – Mas como pode? Eu marquei esse exame e vocês não avisam que não pode ser mais feito por que a máquina quebrou? Para que vocês pedem o telefone se não avisam os clientes? Detalhe básico: os exames estavam marcados, exceto o exame de sangue. Enquanto ela ia verificar a possibilidade da realização do Raio-X, eu fui fazer os outros exames. Terminado esses, fui saber se poderia ou não fazer o Raio-X. Para minha surpresa, ela disse que poderia ser realizado o exame. Fiquei feliz! Pois não posso perder horário de Serviço. Mas a espera para fazer duas simples radiografias foi enorme! Até que ouço meu nome, bem baixo. Minha vez de fazer o exame. Entro na sala e fico PASMO! A máquina era mais velha que o descobrimento do Brasil. Isso sem contar que o operador(acho que é esse o nome da pessoa que opera a máquina) tinha diversas dificuldades para manusear o equipamento, não por que ele não sabia, mas sim por que a máquina emperrava! Um horror. Sem contar que para apoiar a radiografia ele usava madeiras como apoio. Pois é! Plano de Saúde em dia, daí você escolhe um lugar para fazer exames e se depara com algo semelhante a um hospital público, ou até mesmo pior. Relatei isso aqui só para constar. Pois não pretendo nunca mais realizar um exame nesse laboratório: CAMPANA.

Esta entrada foi publicada em Notícias com as palavras-chave Campana, laboratório. Adicione o link permanente aos seus favoritos.