NagMobile

Este artigo foi importado do site http://linux.brunorusso.eti.br, que foi desativado. Este artigo, foi originalmente publicado em: 25/07/2011.

NagMobile

Este pequeno projeto nada mais é que uma “interface” para o nagios, com informações “resumidas” de forma que seja possível monitorar o ambiente ou as principais informações do ambiente através de uma única tela, ideal para ser utilizada em dispositivos móveis.

A necessidade surgiu a partir do momento que foi necessário acessar a interface do Nagios de uma forma mais gerencial.

Estes scripts foram testados no iPhone e no Android 2.1

Este projeto está disponível no diretório Exchange do Nagios – http://exchange.nagios.org/directory/Addons/Frontends-%28GUIs-and-CLIs%29/Mobile-Device-Interfaces/NagMobile/details

Download

Versão 0.4 disponível para Download.

nagmobile-0.4.tar.gz – http://www.brunorusso.eti.br/nagMobile/src/nagmobile-0.4.tar.gz

md5 – 3fc65e68fb0cae77a687069901fc0525

Versão 0.3 disponível para Download.

nagmobile-0.3.tar.gz – http://www.brunorusso.eti.br/nagMobile/src/nagmobile-0.3.tar.gz

md5 – 2f58c120a0e2b3e67eb1553cb1254bd7

Versão 0.2 disponível para Download.

nagmobile.tar.gz – http://www.brunorusso.eti.br/nagMobile/src/nagmobile-0.2.tar.gz

md5 – fb0ac33d4b9b2de53a641d9241bfd61b

Doação

Gostou desse programa?

Ele foi útil para você?

Ajude-me de forma que outros programas iguais a este sejam criados.

Pré-requisitos

Para o correto funcionamento são necessários os softwares abaixo:

Instalando

A instalação é simples, basta descompactar o arquivo no diretório web do nagios.

  • Por exemplo, caso o o diretório do nagios seja:
/var/www/htdocs/nagios

basta descompactar o nagmobile criando o diretório:

/var/www/htdocs/nagios/mobile
  • Após descompactar, altere os parâmetros abaixo do arquivo config.php.
$SERVER_NAME = "URL to access default nagios";
$SERVER_NAME = "http://127.0.0.1/nagios"; <-- example
$USER_NAGIOS = "user to access web interface";
$USER_NAGIOS = "nagios";  <--example
$PASS_NAGIOS = "password to user";
$PASS_NAGIOS = "nagios"; <--example
$DOC_ROOT = "directory where nagmobile was installed";
$DOC_ROOT = "/var/www/htdocs/nagios/mobile"; <-- example

Não altere nenhuma outra variável.

Dica: Toda variável deve estar entre aspas duplas ”“ e deve terminar com o símbolo de ;
  • Para finalizar a configuração, inclua no arquivo config_url.php a url dos grupos de serviços ou de hosts que deseja monitorar.
http://127.0.0.1/nagios/cgi-bin/status.cgi?hostgroup=Windows&style=overview
http://127.0.0.1/nagios/cgi-bin/status.cgi?hostgroup=Linux&style=overview
http://127.0.0.1/nagios/cgi-bin/status.cgi?hostgroup=Routers&style=overview

Pronto! A instalação está concluída. Para acessar a Interface utilize a URL que você acessa o nagios acrescentando /mobile.

Screenshots

NagMobile

Como é o seu funcionamento

No Nagios, os serviços e hosts podem ser agrupados por grupos identificados como hostgroups e por serviços, identificados como servicesgroups.

Cada grupo, criado possui uma URL única. E através dessa URL é que o NagMobile identifica e exibe as informações necessárias.

NagMobile - Fluxo do Sistema

BUG

Encontrou algum erro, nesta página ou no script? Envie um mensagem para: contato@brunorusso.eti.br

Eu ficarei feliz com a sua ajuda ;-)

ChangeLog

2010-11-16 Bruno Tadeu Russo <contato@brunorusso.eti.br>
 - Version 0.4
 - Fixed an error at line 19 of file config.php (lack of the symbol;) - Thanks to Lance Rea
2010-11-12 Bruno Tadeu Russo <contato@brunorusso.eti.br>
 - Version 0.3
 - Added link to the index.html in the image and the bottom of the page.
 - A message can be displayed at the top of the page just after the picture with the logo through the BANNER variable set in config.php
 - added auto refresh every 120 seconds
2010-10-27 Bruno Tadeu Russo <contato@brunorusso.eti.br>
 - Version 0.2
 - Changed the way it is done processing the url when replacing. This is necessary because the character "/".
 - Add variable $SERVER_NAME_CONV, to replacing URL.
 - Now the variable $ doc_root is necessary to complete the other variables.
 - Create Logo.png.
 - Writing the user manual and configuration.
2010-10-20 Bruno Tadeu Russo <contato@brunorusso.eti.br>
 - Version 0.1
 - Beta version, many bugs.
Nagios, the Nagios logo, and Nagios graphics are the servicemarks, trademarks, or registered trademarks owned by Nagios Enterprises.

Ententendo como utilizar o site Slackbuilds.org

Este artigo foi importado do site http://linux.brunorusso.eti.br, que foi desativado. Este artigo, foi originalmente publicado em: 22/11/2009. Apesar da “idade” deste artigo, o seu conceito ainda é válido.

Introdução

O Slackware é a distribuição mais antiga em atividade, possui um conceito muito interessante quando comparada às demais distribuições, que é o conceito KISS (Keep it simple, stupid). O slackware é desenvolvido por um pequeno grupo de pessoas (até onde eu sei são 8 pessoas ao todo que participam do desenvolvimento da distribuição). Devido a esse e outros motivos, o Slackware não possui uma quantidade grande de pacotes, principalmente pacotes para programas pequenos, ou que não são tão essenciais. Ao mesmo tempo, o Slackware possui uma facilidade muito grande para a criação de seus pacotes, que são criados através de simples scripts denominados de SlackBuilds.

Muitas pessoas, criam seus próprios pacotes através do SlackBuilds.

Em 2006 surgiu o site slackbuilds.org, que nada mais é que um repositório de SlackBuilds prontos para serem utilizados, e o mais importante é que os SlackBuilds são validados, ou seja, são 100% confiáveis, visto que irá gerar o pacote é você. Não há pacote pronto!

Atualmente, o projeto SlackBuilds.org é mantido por um pequeno grupo de pessoas. Esse pequeno grupo, avalia os scripts SlackBuild dos pacotes enviados por diversos usuários do mundo todo. Assim que os scripts enviados passam pela análise da equipe, são disponibilizados para os demais usuários.

Como o Slackbuils é organizado

Atualmente o repositório oficial do Slackbuilds.org, possui um pouco mais de 70MB de scripts, prontos para serem utilizados. Os scripts são organizados nos seguintes grupos:

  • Academic
  • Accessibility
  • Audio
  • Business
  • Desktop
  • Development
  • Games
  • Graphics
  • Libraries
  • Misc
  • Multimedia
  • Network
  • Office
  • System

Em cada grupo podemos encontrar um ou mais scripts prontos, organizados da seguinte forma:

./pacote
  |-- README
  |-- pacote.info
  |-- pacote.SlackBuild
  |-- pacote.desktop
  |-- pacote.png
  |-- slack-desc

onde,

  • README, possui informações básicas sobre o pacote, é importante ler este arquivo antes de iniciar a criação do pacote.
  • pacote.info, possui informações que serão utilizadas pelo script de criação do pacote, além de informações sobre o autor do pacote e o responsável pela aprovação dos pacotes.
  • pacote.desktop, informações para que um ícone do programa seja adicionado ao menu do ambiente gráfico.
  • pacote.png, ícone da imagem que será utilizada para representar o programa no menu gráfico.
  • slack-desc, arquivo contendo as informações do pacote para serem exibidas durante a instalação.

Alguns pacotes possuem outros arquivos, como por exemplo o doinst.sh. Tudo isso depende do pacote! 😉

Criando um pacote através do slackbuilds

Para criar um pacote, através dos scripts do Slackbuilds, execute os passos a seguir.

Neste exemplo, vamos criar o pacote do aplicativo lyx

1. Primeiro vamos baixar o script, dentro de um diretório ~/tmp, para criar o pacote.

mkdir ~/tmp
cd ~/tmp
wget http://slackbuilds.org/slackbuilds/13.0/office/lyx.tar.gz

2. Agora vamos descompactar o arquivo baixado.

tar xzvf lyx.tar.gx
cd lyx

3. Agora é preciso baixar o pacote (código-fonte) do programa, no nosso caso o lyx.

wget ftp://ftp.lyx.org/pub/lyx/stable/1.6.x/lyx-1.6.3.tar.gz

4. Agora é necessário conceder permissão de execução para o arquivo lyx.SlackBuild

chmod +x lyx.SlackBuild

5. Tudo pronto para o início da criação do pacote. Para iniciar, basta executar:

./lyx.SlackBuild

Se tudo der certo, será criado um arquivo dentro do diretório /tmp, com o nome

lyx-1.6.3-x86_64-1_SBo.tgz

7. Para instalar o pacote, execute.

installpkg /tmp/lyx-1.6.3-x86_64-1_SBo.tgz

Pronto! Pacote criado e 100% compatível com a distribuição instalado em seu sistema.

Multilib para o Slackware x86_64

Este artigo foi importado do site http://linux.brunorusso.eti.br, que foi desativado. Este artigo, foi originalmente publicado em: 18/10/2009. Apesar da “idade” deste artigo, o seu conceito ainda é válido.

Esse artigo é uma tradução do artigo original, escrito por Eric Hameleers (Alien BOB), que pode ser encontrado em: http://alien.slackbook.org/dokuwiki/doku.php?id=slackware:multilib

Este artigo contém instruções sobre como criar um verdadeiro Slackware64 multilib. A multilib 64 bits é um sistema Linux capaz de rodar programas de 32 bits em plataformas de 64 bits. O FHS descreve claramente como trabalhar com “bibliotecas” de 32 bits e 64 bits em um mesmo sistema. No Slackware64 foi adotado esse padrão, dessa forma as bibliotecas de 64 bits são instaladas nos diretórios /lib64 e/usr/lib64. É por isso que a multilib está pronta para trabalhar com o Slackware64 – apesar das bibliotecas de 32 bits ficarem localizadas nos diretórios /lib e /usr/lib, isso não causa nenhum problema no Slackware64, pois ele não vem com nenhuma biblioteca ou software que necessite de bibliotecas de 32 bits. Há mais um passo para ser feito antes que o Slackware64 possa trabalha com o “multilib habilitado”.

E isso pode ser realizado da seguinte forma:

1. Primeiro precisamos mudar para versões de multilib

  • glibc (ou seja, uma glibc que suporta a execução de binários 32 bits e 64 bits), e
  • gcc (ou seja, capaz de compilar binários de 32 bits e 64 bits).

2. Por fim, as bibliotecas de 32 bits são criadas a partir de um Slackware em 32 bits e instaladas em um Slackware 64 bits, assim conclui-se a criação de uma camada de bibliotecas de 32 bits para o sistema.

Slackware para a arquitetura x86_64 (ou Slackware64) é um sistema operacional puro de 64 bits, porém pode ser facilmente atualizado para a multlib. Caso contrário, o Slackware64 só é capaz de compilar e executar programas de 64 bits.

O Slackware64 tem uma vantagem sobre os demais sistemas de 64 bits que existem. Muitos outros sistemas criam a camada de compatibilidade com sistema de 32 bits recompilando grande parte de seus pacotes para 32 bits. Por outro lado, o Slackware, é uma distribuição que possui uma versão para 32 bits e 64 bits, em que cada versão é desenvolvida de forma paralela. Isto quer dizer que você não precisa compilar todos os pacotes de 32 bits a partir do zero, para que seja possível adicionar a camada de compatibilidade de 64 bits. Você simplesmente leva a versão 32 bits para a estrutura de diretórios da versão 64 bits. Por essa razão o multilib não vem por padrão no Slackware64, porém as condições necessárias para que isso ocorra foram elaboradas, cabendo ao administrador usá-las ou não. A seguir será explicado como você pode fazer um pacote de 32 bits do Slackware (por exemplo o pacote: mesa) refazendo o seu conteúdo para que você possa instalar imediatamente no Slackware64 .

Vantagem de um sistema multilib

Vou dar alguns exemplos de programas que necessitam do multilib em um Slackware de 64 bits.

  • Wine (A maioria dos programas Windows ainda são 32 bits, e para executar esses programas no Linux com o Wine, você precisa de uma versão de 32 bits do wine).
  • Skype , Citrix client (Estes programas são proprietários e de código fechado. Dependemos do desenvolvedor para porta-los para a plataforma de 64 bit. E isso, até agora não aconteceu, com estes dois programas de exemplo.

Felizmente, a utilização de sistemas 64 bits é cada vez mais comum. No ano passado, a Adobe lançou seu plugin de flash para a versão 64 bits e Sun revelou uma versão de 64 bits plugin de java para o browser. E isso foi uma das atitudes que nos motivou a trabalhar em Slackware64.

Obtendo os pacotes multilib

Você pode baixar um conjunto de pacotes habilitados para trabalhar com multilib no site http://slackware.com/~alien/multilib/.

Todos os pacotes são acompanhados pelos fontes e pelos scripts SlackBuild, além de vários arquivos README (Este artigo Wiki é baseado em um desses READMEs). Os pacotes necessários para downloads, são apenas os pacotes binários, localizados no diretório principal. O restante está disponível para fins educacionais.

Ativando o Suporte multilib no Slackware64

As instruções são rápidas

Esta seção contém as instruções essenciais para adicionar a camada multilib completa ao seu sistema Slackware64. Se você quiser entender o processo com maiores detalhes ou informações sobre como compilar software 32bit em Slackware64, leia as próximas seções também.

  • Depois de baixar os pacotes do site, você atualizará as os pacotes “gcc” e “glibc” para a versão multlib, para isso execute o comando, dentro do diretório que você baixou os pacotes:
upgradepkg --reinstall --install-new *.t?z

Este comando irá instalar também um pacote adicional chamado “compat32-tools”.

  • Agora você deverá ter uma árvore de pacotes do Slackware Disponível. Para quem comprou o DVD oficial do Slackware, poderá utilizar o DVD com a versão de 32 bits, ou como exemplo um árvore dos pacotes do Slackware de 32 bits pode ser obtida em ~ftp/pub/slackware/slackware-13.0/slackware/

Não deve haver sub-diretórios chamados ‘a’, ‘ap’, ‘d’, ‘l’, ‘n’, ‘x’ abaixo deste diretório.

  • Crie um novo diretório vazio (chamemos-lhe ‘compat32’) e mude para ele:
mkdir compat32 ; cd compat32
  • Execute o seguinte comando para criar um conjunto de pacotes de 32 bits de compatibilidade, usando o pacote original de 32 bits do Slackware com o comando:
massconvert32.sh -i ~ftp/pub/slackware/slackware-13.0/slackware/
  • Instale os 60 MB recém-convertidos de pacotes de 32 bits o Slackware:
installpkg *-compat32/*.t?z

Pronto! Você pode agora começar a baixar, instalar e executar programas de 32 bits.

Se você usar um gerenciador de pacotes como o slackpkg você terá que adicionar glibc e gcc na blacklist. Se você não tomar essa precaução, você corre o risco de seu gerenciador de pacotes acidentalmente substituir as novas versões com multilib para a versão original pura do Slackware64!

Instruções detalhadas

Atualizando a glibc e GCC

Os pacotes glibc/gcc são substituídos por pacotes não padrões do Slackware. Você usa o upgradepkg “programa para atualizar a multilib com novas versões de gcc e glibc. Você vai precisar deles para executar (glibc), e construir (CCG), programas de 32 bits em seu computador com Slackware64 (as versões de pacotes mostradas abaixo são para o Slackware 13,0):

  • O compilador gcc:
    • gcc-4.3.3_multilib-x86_64-4alien.txz
    • gcc-g++-4.3.3_multilib-x86_64-4alien.txz
    • gcc-gfortran-4.3.3_multilib-x86_64-4alien.txz
    • gcc-gnat-4.3.3_multilib-x86_64-4alien.txz
    • gcc-java-4.3.3_multilib-x86_64-4alien.txz
    • gcc-objc-4.3.3_multilib-x86_64-4alien.txz
  • As bibliotecas GNU libc:
    • glibc-2.9_multilib-x86_64-3alien.txz
    • glibc-i18n-2.9_multilib-x86_64-3alien.txz
    • glibc-profile-2.9_multilib-x86_64-3alien.txz
    • glibc-solibs-2.9_multilib-x86_64-3alien.txz
    • glibc-zoneinfo-2.9_multilib-noarch-3alien.txz

Existe um pacote adicional que você instala usando o installpkg:

  • O “kit de ferramentas 32-bit” (scripts que facilitam a criação de pacotes de 32 bits)
    • compat32-tools-1.0-noarch-1.tgz
Slamd64 separa os pacotes das gcc/glibc para 64 bits e 32 bits. No entanto, penso que é mais limpo manter esses pacotes de multilib de forma individual. Segui o conceito já utilizado no pacote binutils o próprio Slackware64, que tem capacidades de multilib em 64 bits 32 bits.

Adicionando bibliotecas 32-bit Slackware

A atualização da glibc e GCC que descrita anteriormente muda seu sistema de “multilib pronto” para “multilib habilitado”.

Agora, tudo que você precisa fazer é instalar as versões de 32 bits dos software do Slackware para que os futuros programas de 32 bits que você instalará e/ou compilará tenham suas dependências satisfeitas.

Isto não é tão simples como pegar pacotes do Slackware 32 bits e instalá-los em Slackware64:

  • Em primeiro lugar, você vai acabar com vários pacotes duplicados no sistema (dois pacotes de ‘mesa’, dois pacotes ‘zlib’, etc …) o que confundirá você e o seu gerenciador de pacotes slackpkg.
  • Além disso, você terá pacotes contendo binários de 32 (algo como /usr/bin/foo que irá substituir os seus homólogos para o ambiente de 64 bits quando você instalar o pacote de 32 bits). Isso causará sérios problemas para você e o seu sistema.

Um cuidado extra é necessário. O que você precisa, é um pacote de 32 bits que não entra em conflito com o que já está presente em 64 bits no Slackware. Daí o nome “32bit pacote de compatibilidade”.

Eu decidi que seria um desperdício de banda em download, eu criei pacotes com versões de 32 bits compatíveis para mim. Afinal, você já deve ter comprado o Slackware 13,0 DVD que você já possui tanto 64bit e 32bit versões do Slackware … ou então a árvore do Slackware 32 bits está disponível para download gratuito. ;-)

Em vez disso, eu escrevi alguns scripts (partes do código do script foi escrito por Fred Emmott de fama slamd64) e envolveu-los em um compat32. Sua finalidade é permitir que você extrair o conteúdo de qualquer pacote do Slackware 32 bits e usar isso para criar um novo pacote de segurança que você pode instalar no seu 64bit Slackware.

O pacote “compat32-tools” precisa de alguma explicação.

Por favor, leia as normas ‘README’ no diretório /usr/doc/compat32-tools-*/ isso vai ajudá-lo em seu aprimoramento. Estes são os três scripts úteis que o pacote instala:

  • /etc/profile.d/32dev.sh

Este é o mesmo script que vem com slamd64. Ele reconfigura o shell do seu ambiente para que você possa compilar os programas em 32 bits

  • convertpkg-compat32

Este script pega um pacote de 32 bits do Slackware e os converte para um pacote de segurança ‘-compat32 ” onde você pode instalar (usando o” installpkg ”) no Slackware64, juntamente com a versão de 64-bit do mesmo pacote de software. Por exemplo: suponha que você precisa de bibliotecas 32 bits que estão no pacote mesa. Você leva o pacote mesa de 32 bits Slackware x/mesa-7.5-i486-1.txz e em seguida, executa

convertpkg-compat32 /path/to/mesa-7.5-i486-1.txz

Isso criará um novo pacote chamado mesa-compat32-7.5-x86_64-1.txz. Este novo pacote (que é criado no seu diretório /tmp a menos que você tenha especificado outro destino) é basicamente o pacote de 32 bits. O nome alterado (mesa-compat32) permite que você instalar este novo pacote de Slackware64 onde irá co-existir com o pacote mesa 64 bits, não substituindo quaisquer arquivos.

O scripr deixa os arquivos temporários no diretório ”/tmp/package-<prgnam>-compat32 que você pode excluir com segurança.

  • massconvert32.sh

Este script contém uma lista interna de que eu considero essencial, o subconjunto de pacotes de 32 bits do Slackware. Ele usa o script convertpkg, para pegar todos os pacotes que estão nesta lista interna, e convertê-los em pacotes ‘-compat32’.

Você precisa executar este script uma única vez, por exemplo.

     massconvert32.sh -i /mnt/dvd/slackware -d ~/compat32

Esta ação vai resultar em cerca de 60 MB de novos pacotes que você vai encontrar dentro do diretório recém-criado ~/compat32. Estes pacotes incluem o componente de 32 bits do seu sistema Slackware64 multilib.

Eles devem ser instalados usando o “installpkg”:

     installpkg ~/compat32/*/*.t?z
Ao instalar os pacotes compat32 você irá notar que alguns vão mostrar erros sobre a falta de arquivos em /etc. Estes erros podem ser ignorados. Essas mensagens são geradas pelo fato de que os arquivos em /etc são removidos de um “pacote compat32” durante a conversão (exceto para Pango e gtk +2). Partindo do princípio de que os arquivos em /etc que já tenha sido instalado pelo pacote original de 64 bits.
Um exemplo desses erros é o pacote do cups-compat32:
Executing install script for cups-compat32-1.3.11-x86_64-1.txz.
install/doinst.sh: line 5: [: too many arguments
cat: etc/cups/interfaces: Is a directory
cat: etc/cups/ppd: Is a directory
cat: etc/cups/ssl: Is a directory
cat: etc/cups/*.new: No such file or directory
cat: etc/dbus-1/system.d/cups.conf.new: No such file or directory
chmod: cannot access `etc/rc.d/rc.cups.new': No such file or directory chmod:
cat: etc/rc.d/rc.cups.new: No such file or directory
Package cups-compat32-1.3.11-x86_64-1.txz installed.
Se você estava considerando a possibilidade de usar o script convertpkg-compat32 converter um pacote não-Slackware-compat32 para um pacote, devo alertar para que você não faça isso. O script foi escrito com uma única finalidade que é fazer versões de binários de 32 bits funcionarem em Slackware64, com o multlib. Como tal, o script irá remover um monte de coisas que está presente no pacote de 32 bits original – coisas que devem ter sido instaladas com a versão 64 bits do pacote.
Em quase todos os casos em que você tenha baixado um não-pacote do Slackware 32 bits e quiser que ele funcione no Slackware64, a melhor maneira é encontrar as fontes e criar uma versão do pacote de 64 bits. Como alternativa, basta instalar o pacote de 32 bits original em vez de tentar “convertê-lo” e depois executá-lo pela linha de comando para encontrar qualquer falta bibliotecas de 32 bits.

Executando programas 32 bits

Executando um programa pré-compilado em 32 bits é fácil depois que você fez a preparação do sistema. Basta baixar, instalar e executá-lo!

Às vezes, você pode executar um programa que requer uma certa biblioteca de 32 bits do Slackware que você ainda não tem disponível. Nesse caso, você deve descobrir quao o pacote de 32 bits contém essa biblioteca necessária. Então, use o script convertpkg “compat32” para converter o pacote original de 32 bits do Slackware em um pacote compatível com o Slackware64.

Compilando programas bit 32

Caso você precise compilar um programa de 32 bits, você deve configurar o shell, executando o comando:

. /etc/profile.d/32dev.sh

Observe o “ponto” na frente do nome do arquivo – isso é realmente parte do comando! A execução deste comando altera ou cria diversas variáveis de ambiente. O efeito disto é que as versões de binários de 32 bits têm preferência sobre os binários de 64 bits quando você for compilar o código-fonte – dessa forma, você estará executando uma compilação de 32 bits. O efeito durará até você sair do seu shell.

Neste ambiente alterado, você será capaz de usar SlackBuilds padrão para construir pacotes de 32-bit para Slackware64. Há duas coisas em mente:

  1. Você terá que definir a variável ARCH como ‘x86_64’ mesmo que você está compilando um programa 32-bit!
  2. Você terá que editar o SlackBuild e se quiser usar ‘lib64 /’ para diretórios “$ ARCH = x86_64”, você terá de forçá-lo a usar o diretório ‘/lib’ em seu lugar. Normalmente, este é realizado por encontrar uma definição, como:
LIBDIRSUFFIX="64"

altere essa linha para

LIBDIRSUFFIX=""

Advertências

Depois de instalar os pacotes -compat32, você pode ter que re-instalar o binário da Nvidia ou drivers de vídeo ATI X.Org. Estes pacotes contêm driver bibliotecas para 64 bits e 32 bits. Se você instalou os arquivos do driver para ambas as arquiteturas, o pacote mesa-compat32 irá substituir alguns dos arquivos de biblioteca de 32 bits.

Por outro lado, se você instalou somente as bibliotecas do driver 64bit para sua placa Nvidia, recomenda-se após a instalação dos pacotes multilib, re-instalar o pacote de driver binário. Desta vez, opta-se por instalar o driver de 32 bits também.

Os aplicativos gráficos de 32 bits em sua instalação multilib são necessários para as suas bibliotecas de drivers de 32 bits. Crashes são suscetíveis de ocorrer se você deixar de instalar os arquivos corretos.

Pacotes convertido por massconvert32.sh

Esta é a lista de pacotes convertidos em “compat32” através do script massconvert32.sh

# The A/ series:
 
bzip2
cups
cxxlibs
dbus
e2fsprogs
openssl-solibs
 
# The AP/ series:
 
mysql
 
# The D/ series:
 
libtool
 
# The L/ series:
 
alsa-lib
alsa-oss
atk
cairo
ncurses
expat
freetype
gamin
glib2
gtk+2
hal
jasper
lcms
libexif
libgphoto2
libjpeg
libmng
libpng
libtermcap
libtiff
libxml2
libxslt
pango
qt
readline
sdl
svgalib
zlib
 
# The N/ series:
 
cyrus-sasl
gnutls
libgcrypt
libgpg-error
openldap-client
openssl
 
# The X/ series:
 
fontconfig
libFS
libICE
libSM
libX11
libXScrnSaver
libXTrap
libXau
libXaw
libXcomposite
libXcursor
libXdamage
libXdmcp
libXevie
libXext
libXfixes
libXfont
libXfontcache
libXft
libXi
libXinerama
libXmu
libXp
libXpm
libXprintUtil
libXrandr
libXrender
libXres
libXt
libXtst
libXv
libXvMC
libXxf86dga
libXxf86misc
libXxf86vm
libdmx
libdrm
libfontenc
liblbxutil
libxcb
mesa
pixman

Agradecimentos

  • Grande parte dos meus agradecimentos devem ir para Fred Emmott, que criou slamd64, o original e não-oficial fork do Slackware para 64 bits. Embora Slackware64 não foi baseado no trabalho de Fred, eu ainda aprendi mais do que sei sobre a criação de 32-bit parte de um Linux multilib e de seus scripts que são encontrados em slamd64.
  • Cross Linux From Scratch. Cross Linux From Scratch. O Wiki CLFS http://trac.cross-lfs.org/wiki/read#ReadtheCrossLinuxFromScratchBookOnline é um excelente guia de leitura para você entender como portar o Linux para uma nova arquitetura. Eu obtive várias idéias, conceitos e patches de Slackware64 ao criá-lo a partir do zero, e outra vez quando eu criei o meu pacote gcc/glibc multilib a partir do zero Divirta-se!

Eric

Instalando o Skype no Slackware X64

Este artigo foi importado do site http://linux.brunorusso.eti.br, que foi desativado. Este artigo, foi originalmente publicado em: 25/07/2011. Apesar da “idade” deste artigo, o seu conceito ainda é válido.

Infelizmente o Skype não fornece um pacote no formato dos pacotes reconhecidos pelo Slackware, porém podemos criar um pacote a partir dos scripts disponibilizados pelo site http://slackbuilds.org.

A criação do pacote a partir do slackbuild é muito fácil. Siga os passos abaixo para criar o pacote no formato .tgz

1º Passo

Acesse o site: http://slackbuilds.org/repository/13.37/network/skype/ e baixe os seguintes arquivos:

skype-2.2.0.35.tar.bz2http://download.skype.com/linux/skype-2.2.0.35.tar.bz2

skype.tar.gz – http://slackbuilds.org/slackbuilds/13.37/network/skype.tar.gz

2º Passo

Descompacte o arquivo skype.tar.gz, com o comando:

#tar xzvf skype.tar.gz skype/ skype/README skype/doinst.sh skype/skype.info skype/slack-desc skype/skype.SlackBuild skype/README.STATIC

3º Passo

Mova o arquivo skype-2.2.0.35.tar.bz2 para o diretório skype, que foi criado com o comando anterior, através da descompactação.

#mv skype-2.2.0.35.tar.bz2 skype/

4º Passo

Como usuário root, execute:

#cd skype/ #./skype.SlackBuild

Neste momento o pacote no formato do Slackware está sendo criado. Ao final deverá aparecer a seguinte mensagem:

Slackware package /tmp/skype-2.2.0.35-i486-1_SBo.tgz created.

5º Passo

Para instalar o pacote, execute:

# installpkg /tmp/skype-2.2.0.35-i486-1_SBo.tgz

Se você utiliza uma versão do Slackware de 32bits, o skype deve funcionar sem nenhum problema. Agora se você utiliza a versão X64, você irá precisar utilizar as [Multilibs | http://slackbuilds.org/slackbuilds/13.37/network/skype.tar.gz ].

Facilitando o trabalho, abaixo estão todas as multilibs necessárias para o skype funcionar no Slackware X64.

  • aaa_elflibs-compat32-13.37-x86_64-7.txz
  • compat32-tools-2.1-noarch-9alien.tgz
  • fontconfig-compat32-2.8.0-x86_64-1.txz
  • gcc-4.5.2_multilib-x86_64-2alien.txz
  • gcc-g++-4.5.2_multilib-x86_64-2alien.txz
  • gcc-gfortran-4.5.2_multilib-x86_64-2alien.txz
  • gcc-gnat-4.5.2_multilib-x86_64-2alien.txz
  • gcc-java-4.5.2_multilib-x86_64-2alien.txz
  • gcc-objc-4.5.2_multilib-x86_64-2alien.txz
  • glibc-2.13_multilib-x86_64-4alien.txz
  • glibc-i18n-2.13_multilib-x86_64-4alien.txz
  • glibc-profile-2.13_multilib-x86_64-4alien.txz
  • glibc-solibs-2.13_multilib-x86_64-4alien.txz
  • glibc-zoneinfo-2.13_multilib-noarch-4alien.txz
  • libICE-compat32-1.0.7-x86_64-1.txz
  • libSM-compat32-1.2.0-x86_64-1.txz
  • libX11-compat32-1.4.3-x86_64-2.txz
  • libXScrnSaver-compat32-1.2.1-x86_64-1.txz
  • libXau-compat32-1.0.6-x86_64-1.txz
  • libXdmcp-compat32-1.1.0-x86_64-1.txz
  • libXext-compat32-1.2.0-x86_64-1.txz
  • libXrender-compat32-0.9.6-x86_64-1.txz
  • libXv-compat32-1.0.6-x86_64-1.txz
  • libxcb-compat32-1.7-x86_64-1.txz
  • qt-compat32-4.7.0_7abde40-x86_64-3.txz
  • util-linux-compat32-2.19-x86_64-1.txz

Todos esses pacotes podem ser encontrados em: http://connie.slackware.com/~alien/multilib/